Apresentação institucional

O Instituto Iberoamericano de Direito Processual foi fundado em Montevidéu, nas Primeiras Jornadas Latino-Americanas de Direito Processual, realizadas em 1957, para homenagear a memória de Eduardo J. Couture.

Na sessão de encerramento das Jornadas o professor brasileiro Russomano propôs a criação de um Instituto Americano de Direito Processual, que desde 1970 leva o nome de Instituto Iberoamericano de Direito Processual.

O falecido Professor Adolfo Gelsi Bidart foi seu primeiro secretário-geral (1957) e poucos anos depois foi eleito Presidente o Professor Niceto Alcalá Zamora y Castillo (1960). Sucedeu-lhe na presidência do Instituto figuras como Hernando Hernando Devis Echandía, Enrique Véscovi, Augusto Mario Morello, José Carlos Barbosa Moreira, Roberto O. Berizonce, Jairo Parra Quijano y Raúl Tavolari Oliveros. Atualmente exerce a presidência o professor Ángel Landoni Sosa.

O Ministério de Relações Exteriores da República Oriental do Uruguai resolveu em 2010 outorgar-lhe personalidade jurídica.

O Instituto realizou a XXII Jornada Científica e tem cerca de quatrocentos membros, incorporados por um processo de seleção no qual se observam os méritos acadêmicos e a trajetória dos postulantes.

Entre as obras mais significativas referem-se os Códigos Modelo para o processo civil e penal (1998), que influenciou decisivamente para a atividade de reforma da justiça realizada por um grande número de países latino-americanos, assim como a elaboração de um Código Modelo de Processos Coletivos aprovado em 2004.